53º Festival de Sintra - Trio Arbós

Sunday  7 October  2018  6:00 PM
Save Saved
Last update 08/10/2018
  1703

53º Festival de Sintra - Trio Arbós
Domingo, 7 de Outubro às 18:00

Palácio Nacional de Sintra
Largo Rainha Dona Amélia, 2710-616 Sintra

Este projeto é um diálogo entre o flamenco tradicional e a musica clássica dos nossos dias. Neste concerto, seis compositores revisitaram a essência da música do flamenco compondo para o Trio Arbós. Fandangos, malagueñas, tientos, tangos e bulerías são apresentados em confronto com criações novas de compositores como Maurício sotelo, Elena Mendoza, Juseus torres, Thierry Pécou, numa viagem fascinante através da música poderosa da península ibérica de raízes multiculturais.

Ainda antes de Portugal ser Portugal, já o cronista árabe Abne Munime Al-Hímyari, escrevia sobre Sintra

« (…) é uma das vilas que dependem de Lisboa no Andaluz, nas proximidades do mar. Está permanentemente mergulhada numa bruma que se não dissipa. O seu clima e os seus habitantes vivem longo tempo. Tem dois castelos que são de extrema solidez. (…).» Desses tempos longínquos, ficaram os algarismos que hoje utilizamos, vocábulos, influências musicais e, em Sintra, os dois castelos referidos por Al-Himyari, o dos Mouros, no alto da serra e o Paço da Vila erguido sobre a alcáçova mourisca.

___________________________
TRIO ARBÓS

Flamenco Envisioned

Juan Carlos Garvayo, piano e percussão

Cecilia Bercovich, violino e viola

José Miguel Gómez, violoncelo e percussão

Rafael de Utrera, canto flamenco

Fandangos, malagueñas, tientos, tangos e bulerías e ainda obras de Mauricio Sotelo, Elena Mendoza, Jesús Torres, Thierry Pécou, numa viagem fascinante através da música poderosa da península ibérica de raízes multiculturais.

________________________
TRIO ARBÓS
Galardoados com o Prémio Nacional de Música de Espanha, o trio é formado pela violinista Cecilia Bercovich, o violoncelista José Miguel Gómez, e o pianista Juan Carlos Garvayo.Fundado em 1996, tem o nome do violinista, maestro e compositor espanhol Enrique Fernández Arbós (1863-1939). Está sediado em Madrid e é considerado já um dos mais reputados ensembles de câmara europeus.

O seu repertório abrange do clássico ao romantismo (os trios completos de Mozart, Beethoven, Schubert, Mendelssohn, Schumann, etc.), até à contemporaneidade com obras encomendadas para o trio como parte importante dos seus concertos. Georges Aperghis, Toshio Hosokawa, Ivan Fedele, Mauricio Sotelo, Luis de Pablo, Jesús Torres, Hilda Paredes, Roberto Sierra, Bernhard Gander, Aureliano Cattaneo, César Camarero, José María Sánchez Verdú, José Luis Turina, são alguns dos mais reputados compositores que lhes dedicaram obras. O Trio também tem colaborado com Pascal Dusapin, Jonathan Harvey, Cristóbal Halffter, Salvatore Sciarrino e Beat Furrer, entre outros.

O Trio Arbós apresenta-se frequentemente nas principais salas e festivais de mais de 30 paises: Vienna Konzerthaus, Moscow Tchaikovsky Conservatory, Helsinki Sibelius Academy, Buenos Aires Teatro Colón, Auditorio Nacional of Madrid, Kuhmo Festival, Festival Time of Music of Viitasaari, Biennale di Venezia, Festival Musica of Strasbourg, Nuova Consonanza of Rome, Wittener Tage für Neue Musik, Klangspuren Festival, ULTIMA Festival of Oslo, NUMUS Festival of Toronto, Santorini International Music Festival, El Salvador International Music Festival, Ryedale Festival, San Sebastian Quincena Musical, Santander International Music Festival, Alicante Contemporary Music Festival, Ensems of Valencia, International Festival of Granada, etc.

Apresentaram em estreia mundial os triplos concertos de César Camarero e Roberto Sierra com a Orquestra Nacional de Espanha e a orquestra da Radio Televisão de Espanha.

As suas múltiplas gravações discográficas incluem a integral dos trios de Joaquín Turina e Roberto Sierra para a NAXOS, obras de Jesús Torres e César Camarero para a KAIROS entre mais de uma dúzia de CDs para diferentes editoras.

A prestigiada revista Gramophone referiu-se ao aclamado CD “Play it again”:
“Este disco reafirma os créditos do Trio Arbós como sendo entre os mais inclusivos e progressistas grupos de câmara da atualidade”.

Desde 2005 o Trio Arbós é artista residente no Museu de Arte Contemporânea Rainha Sofia de Madrid. O seu projeto Triple Zone foi distinguido com o Ernst von Siemens Musikstiftung.

Nos próximos anos o Trio Arbós continuará a estrear novas obras, graças ao programa de mecenato da Fundação BBVA.

music concerts festivals classical
Nearby hotels and apartments
Lisbon, Portugal